Voltar para o início


 

Aliada de Bolsonaro busca assinaturas para mais uma PEC de redução de salários

A deputada federal Carla Zambelli quer um corte de 25% nos salários de servidores públicos que ganham acima de R$ 15 mil

quarta-feira 17 junho 2020 às 11:11

Depois do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), defender um corte nos salários de todo o funcionalismo público federal, em outra frente, a aliada de Jair Bolsonaro, deputada Carla Zambelli (PSL-SP), está coletando assinaturas para uma PEC que pretende cortar em 25% os salários de servidores públicos que ganham acima de R$ 15 mil. São necessárias 171 assinaturas para que a proposta comece a tramitar na Casa.

Assim como Maia, que justificou o corte para que o auxílio de R$ 600,00 à população seja prorrogado por mais dois meses, Zambelli, da mesma forma, pretende colocar na conta do serviço público os gastos decorrentes da pandemia de Covid-19 no País. Vale lembrar que os salários dos servidores públicos municipais, estaduais e federais já foram congelados por 18 meses (até dezembro de 2021) em troca do auxílio emergencial a estados, municípios e Distrito Federal.

Redução de Salários - A depuatda Carla Zambelli (PSL-SP)propõe cortar salários de servidores do judiciário em 25%. (Foto: Reprodução/Fenajufe)

Redução de Salários – A deputada Carla Zambelli (PSL-SP) propõe cortar salários de servidores do judiciário em 25%. (Foto: Reprodução/Fenajufe)

A proposta da deputada atinge todos os ocupantes de cargos eletivos, dos membros do Poder Judiciário, do Ministério Público e dos servidores dos Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, independentemente de redução de carga horária.

O momento requer urgência na pressão aos parlamentares para que a PEC não avance. Por isso a Fenajufe já articula junto a Assessoria Parlamentar informações detalhadas sobre essas propostas que visam o corte no salário dos servidores. Além disso, campanha nacional de valorização do serviço público está no ar nas redes sociais da Federação.

Taxação de grandes fortunas

Neste momento de crise, a taxação de grandes fortunas pode salvar vidas. Segundo o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), a estimativa de arrecadação com imposto sobre grandes fortunas é algo entre R$ 40 e R$ 100 bilhões. Esse imposto recairia, aproximadamente, em 77 mil pessoas.

Assine AQUI o abaixo-assinado “Taxar fortunas para salvar vidas”.

 

Fonte: Fenajufe/PI 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *




Rua Magalhães Filho 573, Centro Sul - Teresina - PI
CEP 64001-350 Fones/Fax (86) 3221 1645 / 3221 0273