Voltar para o início


 

Nova diretoria do Sintrajufe-PI toma posse e define prioridades

“Obrigada aos que estão saindo, força aos que continuam e coragem aos que estão entrando.” A fala da companheira Cláudia Rodrigues resume bem o sentimento dos diretores e convidados na cerimônia de posse da nova diretoria do Sintrajufe-PI.  Às 20h do sábado, 23 de julho, é o marco de início do triênio da Chapa ‘Ousar, […]

segunda-feira 25 julho 2011 às 20:43

“Obrigada aos que estão saindo, força aos que continuam e coragem aos que estão entrando.” A fala da companheira Cláudia Rodrigues resume bem o sentimento dos diretores e convidados na cerimônia de posse da nova diretoria do Sintrajufe-PI.  Às 20h do sábado, 23 de julho, é o marco de início do triênio da Chapa ‘Ousar, Lutar e Vencer’, eleita por ampla maioria em votação realizada no dia 4 deste mês.

A militante que ajudou a fundar o Sintrajufe-PI, Madalena Nunes, abriu a fala entre os diretores falando dos vários papéis que um sindicato exerce na sociedade. Para ela, a principal luta e mais evidente é a batalha em defesa dos direitos dos trabalhadores, um processo na história da humanidade que tem garantido melhorias de vida para a população em geral.

No entanto, Madalena acrescenta que na defesa dos direitos dos trabalhadores estão embutidos a solidariedade e o posicionamento político relativo a várias questões. Segundo a diretora, lutar pelos salários é importante, mas garantir o debate sobre outros assuntos, como o preço da passagem de ônibus, o apoio à luta de outras categorias e a discussão de políticas públicas em geral é um papel inerente não só ao sindicato, mas a todas as pessoas enquanto cidadãos.

“A batalha por melhores salários, contra o assédio moral e tantas outras frentes estão imediatamente inseridas num contexto maior, de uma política social e econômica, que mesmo sem percebermos influencia diretamente na nossa atividade enquanto servidores públicos, enquanto cidadãos. E é exatamente por isso que não podemos deixar de participar dos vários debates que permeiam a sociedade.”

O diretor Saturnino Dantas reconheceu que este é um período difícil para a categoria. Ele lembrou os episódios que marcaram a luta pela revisão salarial desde 2009, mas reafirma que o momento é de fortalecer a base. Para o diretor, apesar do mês de julho ser um período de recesso nas Casas Legislativas e um mês em que muitos servidores tiram férias, a categoria precisa estar alerta e fortalecer a luta no início de agosto, quando as atividades voltam ao normal.

“Não era possível fazer paralisação com o quadro do jeito que estava, mas em agosto nós temos que voltar com tudo e garantir nosso reajuste salarial que apenas corrige as defasagens da inflação.”

Saturnino falou ainda da reunião que aconteceu pela manhã com os integrantes da nova chapa: “Eu hoje pedi que os diretores vistam a camisa do sindicato, que se engajem na luta e que possam se orgulhar de fazer parte de uma entidade que representa os direitos da categoria. O sindicato é feito por cada servidor e os diretores devem honrar os votos de confiança que os associados dedicaram a cada um de nós. Hoje, eu realmente espero que nós consigamos atender e superar as expectativas e anseios da base. Por isso, meus amigos, hoje o que eu tenho a dizer é: muito obrigado e vamos à luta!”

Confira a lista dos diretores da nova chapa:

Diretoria de Organização e Assuntos Jurídicos

1.    Ivana de Macêdo Rodrigues – TRE (Cartório Buriti dos Lopes)

2.    Maria Madalena Nunes – JF

Diretoria de Administração e Finanças:

1.    Gilvan Sousa dos Santos – TRE (Sede)

2.    Saturnino Dantas de Moura- JF

3.    Valter Albuquerque Braga – TRT (Fórum)

Diretoria de Comunicação Cultura e Desporto

1.    Antonia de Andrade Freitas Goudinho – TRT (Sede)

2.    Feliciano Sousa Filho – TRE (Sede)

Diretoria de Formação e Política Sindical

1.    Catarina Eletice Pinho Gomes – TRE (Cartório de Campo Maior)

2.    Marco Antônio Gomes dos Santos – TRE (Cartório de Francinópolis)

3.    Pedro Laurentino Reis Pereira – TRT (Fazendinha)

Suplentes da Diretoria Colegiada

1.    Maria do Rosário Silva V. Ramos – TRE (Inativa)

2.    Walter Avelino de Sousa – TRE (Inativo)

3.    Malcon Robert Lima Gomes – JF (Sede)

Conselho Fiscal:

1.    Aurora Maria Santos Buna – TRE (Sede)

2.    Gilberto Guedes Fernandes – TRE (Sede)

3.    Aécio Fernando Aguiar Rufino – TRT (Fórum)

Suplentes do Conselho Fiscal

1.    Jorge Elau Barros Silva – TRE (Sede)

2.    Justina Maria de S. S. Gonçalves – TRT (Centro)

3.    Maria das Dores da Silva de Assis – TRT (Fórum)

11 respostas para “Nova diretoria do Sintrajufe-PI toma posse e define prioridades”

  1. Paulo Rosa disse:

    Parabéns a nova direção eleita, desejo força e coragem a todos para que possam tocar as lutas que estão por vir.
    Saudação Classistas

  2. sem_incorporação disse:

    Subsídio Já!!!!!

    Bora ver se mudaram algo ou se continua a mesma ladainha.

  3. ananias jr disse:

    A diretoria da Fenajufe faz esclarecimentos para desmistificar várias inverdades publicadas pelo movimento pró-subsídio e outras entidades que não representam o conjunto dos servidores do Judiciário Federal e MPU:

    ….A Fenajufe tem por orientação não divulgar matérias que criem falsas expectativas, que sejam utilizadas para desmobilizar a luta dos servidores pelos seus direitos e salários ou desmantelar movimentos de greve por conta de meras manifestações de integrantes das administrações ou de representantes dos governos. ….em nenhum momento foi apresentada à Fenajufe pelo Judiciário, MPU ou pelo governo proposta oficial de revisão salarial no formato de subsídio ou qualquer outra forma de remuneração.

    …qualquer proposta oficial que seja oriunda de negociação do governo e do Judiciário, a qual seja apresentada à Fenajufe, será divulgada e submetida à apreciação das instâncias de nossa categoria…Os delegados presentes na última Plenaria apresentaram proposta de resolução a favor do subsídio, que foi rejeitada pela maioria da plenária. Cabe agora respeitar a decisão da categoria.

    Atitudes desagregadoras, espalhadas principalmente pelo movimento pró-subsídio, não contribuem, mas prejudicam e podem comprometer, em parceria com a resistência do governo e a inércia do Judiciário e do MPU, a conquista da revisão salarial, derrotando todos os servidores. O governo e o próprio Legislativo utilizam e estimulam esta divisão como um trunfo para não conceder qualquer reajuste salarial, independente do seu formato, aos servidores do Judiciário Federal e MPU.

    … Além de tudo, matérias divulgadas pelo movimento pró-subsídio fazem ataques a direitos da categoria, usam de informações distorcidas ou isoladas, de forma similar à tática de desgaste adotada por governos, quando estes têm por objetivo retirar direitos dos servidores. Acabam fazendo o papel de “laranjas” do governo que não quer conceder reajuste nenhum para os servidores.

  4. Comunicação disse:

    O livre debate de ideias faz parte das diretrizes do Sintrajufe-PI. As mudanças não dependem de uma única diretoria, mas do esforço de um grupo que se discute e colabora para a mudança.

    • Pablo Dias disse:

      Beleza, então!

      Que tal uma consulta a TODA a categoria através de meio eletrônico sobre a forma de remuneração que a gente quer?

      • Comunicação disse:

        Ok Pablo. A proposta será levada para a próxima reunião da diretoria do Sintrajufe para fazermos uma enquete sobre a forma de remuneração do site. A única questão que colocamos, é que enquanto Sintrajufe, não poderemos fazer a enquete com a categoria em nível nacional, mas local, já que o sindicato representa os servidores no Piauí. De qualquer forma, entre em contato conosco a qualquer hora para o que precisar.

  5. Paulo Robério disse:

    Vamos ver se muda um pouco esse discurso antiquado que vem assolando o meio sindical. Vê aí dse consulta e dá voz a TODOS os servidores, pois o que se tem visto é o sindicato defender apenas uma parcela privilegiada da categoria. Se continuarem a mesma ladainha de sempre vão ficar pra trás, vão comer poeira e se isolar ainda mais a cada dia.

    ACOOOOOOOOOOOOOOOOOORDA SINTRAJUFE-PI.

  6. Pablo Dias disse:

    “Movimento Pró-Subsidio assume greve no SINDJUF – PA/AP

    Mesmo após as atitudes escusas da cúpula administrativa do SINDJUF PA/AP na tentativa de acabar

    com a greve, a categoria decidiu em Assembleia realizada ontem 26.07 que o movimento paredista

    permanece firme no TRE-PA, onde majoritariamente os servidores são a favor do subsídio como

    forma de remuneração.

    A Assembleia Geral Extraordinária – AGE realizada ontem na sede do Sindicato foi marcada pelo

    sentimento de união e solidariedade que se formou entre os servidores da Justiça Eleitoral e da Justiça

    Federal em apoio à situação delicada de corte de ponto por que estão passando os colegas da Justiça do

    Trabalho.

    Ficou esclarecido na fala dos companheiros da Justiça do Trabalho que já havia decisão setorial para o

    término da greve no TRT e que em nenhum momento foi colocada a necessidade por eles de se pautar o

    fim do movimento paredista em AGE como estranhamente manipulado pela Diretoria do SINDJUF – PA/AP.

    Nesse momento da Assembleia foi desmascarada a falta de ética da Direção do Sindicato para com todos

    que ela representa, por sua atitude sorrateira de tentar criar um atrito infundado entre o Movimento Pró-

    Subsídio do TRE-PA e os companheiros de luta do TRT como noticiado no Infogreve do dia 26 de julho:

    Após o recuo no movimento paredista dos companheiros do TRT, às voltas com um

    DESCONTO DE METADE DO SALÁRIO em junho e podendo não receber nada em

    Agosto, é na frente do TRE/PA que ainda se mantém mobilização paredista em prol

    da revisão salarial. Majoritariamente constituído por companheiros que militam

    pela opção do Subsídio, na 2ª. feira houve muita irritação com o Edital de

    Assembléia Geral Extraordinária divulgado 6ª. feira pela Executiva do SINDJUFPA/

    AP, por solicitação dos companheiros do TRT que estão em situação

    desesperadora.

    O descontentamento dos que apóiam o Movimento Pró-Subsidio no TRE-PA adveio da tentativa injustificada

    da Direção do Sindicato de querer decidir mais uma vez contra a vontade dos servidores da Justiça

    Eleitoral do Pará de permanecerem em greve. Por conta disso o MPS se manifestou em nota de repúdio a

    essa atitude ditatorial da Direção conforme noticiado no site da Comissão Nacional Pró-Subsídio

    (http://www.subsidioja.com.br/pgVisualizarNoticia.aspx?ID=356).
    Vencida a questão e com o respaldo da Assessoria Jurídica do Sindicato, que esclareceu todos os pontos

    acerca da desmobilização setorial no TRT e da possibilidade de se continuar o movimento no TRE-PA sem

    prejudicar nenhum servidor da categoria, a proposta pela continuação da greve foi acatada de forma

    unânime pela categoria, para o desespero da Direção do Sindicato.

    A partir de agora, em ato de apoio aos colegas do TRT, o Movimento Pró-Subsídio no TRE-PA permanecerá

    na greve pelo Judiciário Federal no Pará, conquista que se fez a duras penas em Assembleia Geral a

    despeito de todas as armas inescrupulosas de sua cúpula.”

    Vejam o desespero dos SINDICANALHAS a que ponto chegou:

    “Servidores do Tribunal Regional Eleitoral do Pará são vítimas de

    constrangimento pela Direção do SINDJUF – PA/AP

    No dia de ontem, em momentos que antecederam a Assembleia Geral Extratordinaria que trataria do fim

    da greve, vários servidores do Tribunal Regional Eleitoral do Pará, militantes ou não pelo subsídio, foram

    vítimas de constrangimento pela Direção do Sindicato.

    Munidos de câmera fotográfica, e se utilizando de um discurso oportunista e leviano em relação à situação

    delicada porque passam os colegas do TRT, o Coordenador Geral do Sindicato pelo TRE-PA, José de

    Ribamar F. Silva, e a Coordenadora de Imprensa Alice Romana de J. Pereira pelo TRT/8ª começaram a

    invadir as salas deflagrando flashes sobre os servidores do Tribunal, sem autorização prévia, para

    supostamente fazer crer que os mesmos não estavam engajados na greve.

    A estratégia impensada era manipular informações com o intuito de enfraquecer o movimento grevista,

    jogando mais uma vez os colegas do TRE contra os do TRT. Uma aula de falta de ética que afronta

    princípios expressos do Estatuto do SINDJUF-PA/AP (art. 5º, inc. I a V) e a própria Lei de Greve (art.6, §1º).

    A atitude causou revolta na grande maioria dos servidores do Tribunal que imediatamente denunciaram o

    fato à Direção-Geral do órgão. O tiro da cúpula do SINDJUF – PA/AP saiu pela culatra. Indignados com a

    truculência de seus membros, os companheiros do TRE, pró-subsídio ou não, compareceram em peso na

    Assembleia Geral onde toda a categoria unida saiu vitoriosa por ter dito “NÃO” às vozes assombrosas dos

    resquícios da ditadura em nosso país.

    “Art. 5º – Constituem princípios do SINDJUF-PA/AP: (…) IV – lutar contra todas as formas de opressão e dominação do ser humano e prestar

    solidariedade à luta dos trabalhadores em escala mundial;”

    “Art. 6º São assegurados aos grevistas, dentre outros direitos: §1º Em nenhuma hipótese, os meios adotados por empregados e empregadores

    poderão violar ou constranger os direitos e garantias fundamentais de outrem.”

    Prezados Colegas do TRT. Contem com nossa solidariedade. Continuaremos na Luta por Vocês!!!

    Movimento Pró-Subsídio do Tribunal Regional Eleitoral do Pará”

    Fonte: http://pcsja.forumeiros.com e http://www.subsidioja.com.br

  7. Paulo Robério disse:

    Já vejo essa forma de comunicação aqui como um avanço. Nesse ponto, parabéns.

  8. Paulo Robério disse:

    Comunicação!! Ei, comunicação!!!!

    Que tal colocar o debate na página principal do site?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *




Rua Magalhães Filho 573, Centro Sul - Teresina - PI
CEP 64001-350 Fones/Fax (86) 3221 1645 / 3221 0273